Câncer e dados de saúde

Câncer é a palavra utilizada para nomear umas das piores doenças no mundo e que recebe esse nome devido a aparência de caranguejo das células humanas afetadas, vislumbrada através de microscópio. Esta doença, segundo a International Union Against Cancer (UICC) é responsável por uma taxa mundial de 12% de óbitos.
Segundo divulgado pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa esperada para o Brasil para cada ano do triênio 2020-2022, será de 625 mil casos novos de câncer, sendo o de pele o mais incidente (177 mil), seguido pelos cânceres de mama e próstata (66 mil cada).
Percebendo que esta estimativa só cresce com o tempo, o tema recebe atenção diferenciada, ganhando destaque nos últimos 3 meses de cada ano. Em outubro, é marcado a prevenção do câncer de mama, popularmente conhecido como “Outubro Rosa”; no mês seguinte é o “Novembro Azul”, cuja iniciativa busca trazer a atenção para o câncer de próstata; e o “Dezembro Laranja” onde o tema é o câncer de pele.
Devido ao aumento significativo de exames e tratamentos realizados nesse período, é preciso chamar a atenção para o cuidado e utilização das informações pessoais, não só dos portadores desta doença, como também dos potenciais doadores de medula óssea.
Com a entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados LGPD), a responsabilidade e respeito às informações reveladas pela pessoa a determinada instituição deverá ser demonstrada, registrada e comprovada. Principalmente quando envolvido os chamados dados sensíveis que são aqueles, como, por exemplo, dados referentes à saúde.
Esclarecimentos como: quais informações são coletadas, usadas e com quem são compartilhadas devem ficar claro para aqueles que a fornecem. Também é dado a estas pessoas o direito de solicitar alguns esclarecimentos sobre a utilização de suas informações e até mesmo a exclusão delas.

Mas fique atento!

Devido a algumas legislações, os dados de prontuário não podem ser excluídos, podendo apenas serem modificados de acordo com novas informações inseridas.
Todas as ações brevemente apontadas e direitos que as pessoas passam a ter sobre suas informações, visam trazer mais transparência aos processos e garantir uma segurança maior. Caso suas informações sejam disponibilizadas através de um vazamento, por exemplo, ou sem o seu consentimento, investigações podem ser realizadas para garantir indenizações.
Seja consciente! Ao entregar suas informações, como paciente, usuário, e /ou doador, procure maiores informações. Seus dados pessoais são sua vida.