Como e onde atua um advogado especializado em Direito do Trabalho

Você sabe em quais áreas um advogado especialista em direito do trabalho atua, em quais áreas ele pode melhorar as relações de trabalho e como ele pode fazer isso?
Através de uma simples consulta no site de busca da Google, encontramos que a atuação do advogado trabalhista se limita a processos e disputas entre empresas e empregados, podendo representar o interesse de um ou de outro, além de prestar consultoria para empresas em questões de contratação e demissão de trabalhadores. Mas essa seara de atuação já é bem difundida, tanto quanto limitada.
Bem verdade que o advogado que promove a defesa dos interesses seja do empregador, seja do empregado é e deve ser especialista na área do direito do trabalho, visto a especificidade e vastidão legislativa e normativa da área. Por ser considerado um ramo do direito menos complexo e mais célere, muitos são os profissionais que se arriscam a se aventurar pelo manejo de processos nesta especializada, o que pode ser fatal!
O conhecimento raso neste ramo, sem o traquejo advindo da especialização e experiência na atuação, pode levar a criação de um passivo impagável para a empresa e uma perda de reclamar inestimável para um empregado. Certo é, que a atuação do advogado do trabalho milita muito além das normativas postas em lei. Deve ser este conhecedor de tantos e muitos outros instrumentos, inclusive das regras civis de contratos, tão menosprezados por grande parte dos envolvidos nas relações de emprego: seja empregador doméstico, empregador pessoa jurídica ou empregado.
Além disso, o profissional especializado nas relações trabalhistas, não atua apenas em processos de empregado contra empregador e, menos ainda, prestam consultoria apenas na contratação e demissão de trabalhadores, como se difunde por conceitos da internet. Por exemplo, as médias e grandes empresas que possuem em seu organograma o setor de relações sindicais, deveria ter como imprescindível a participação ativa do advogado trabalhista, evitando os diversos problemas enfrentados após o acordo ou o dissídio coletivo, com a existência de normativas complexas e tão abstratas, que só prejudicam e aumentam o passivo da empresa.
O profissional pode e deve atuar no treinamento de gestores e gerentes com poder diretivo, setor pessoal, recursos humanos e, inclusive, dos próprios empregados. O conhecimento claro das normas postas, a interpretação objetiva e fácil do Regimento Interno, a elaboração de conceitos fáceis quanto aos direitos e obrigações, facilita o dia a dia do empregado que conhece os seus direitos, a rotina dos gestores que atuam mais confiantes dos seus limites e, por estarem todos agindo conforme a legalidade, resulta na óbvia redução do número de processos, com consequente redução do passivo trabalhista, tão pesado para as empresas.
O aconselhamento do profissional abrange ainda as áreas correlatas como a do direito previdenciário, compliance, segurança do trabalho, direito digital, LGPD, dentre outras. O profissional trabalhista não basta manter o título de especialista para estar capacitado a atuar, ele deve se manter diariamente atualizado, diante da fluidez das relações, que entram em descompasso com as mudanças legislativas. O Maior exemplo foi o que ocorreu nas relações de emprego com a decretação do estado de Pandemia mundial no ano de 2020.
O consenso em relação à interpretação das normas foi tão complexo, que nem os mais renomados estudiosos concordam quanto à aplicação dos pontos ali determinados. As mudanças eram periódicas e a insegurança das relações só amedrontavam ainda mais os empresários e os trabalhadores. Naquele momento, que ainda se alonga nas consequências, teve a grande sacada quem buscou a atuação direta, responsável e robusta de um advogado trabalhista com capacitação para tal.
Quando falamos de pequenas empresas, vê-se ainda mais necessária a contratação de uma consultoria especializada. Desprovidos de jurídico interno, os empresários individuais, pequenas e médias empresas, bem como os empregadores domésticos, terminam por estabelecer como suficiente a atuação do contador para gerir o(s) empregado(s) contratado(s). Infelizmente, não são poucas as situações que assistimos ao encerramento de atividades, o endividamento da pessoa física ou até de famílias inteiras decorrentes das execuções trabalhistas assombrosas.
Além disso, o investimento em uma consultoria preventiva responsável e preparada, diminuirá substancialmente o risco de novos processos a partir daquele momento, visto que se propõe uma mudança definitiva do modelo de gestão, com redução dos riscos já existentes e diminuindo ainda mais quando tratamos das novas relações que passarão a existir dali para frente.
Do mesmo modo, quando visto pelo lado do contencioso, seja na defesa dos direitos do empregado, que hoje poderá arcar com custos judiciais em caso de não ter sua reclamação procedente ou do empregador, que deverá desembolsar altos valores para exercer seu direito de recorrer, sem falar nas execuções impiedosas da justiça do trabalho, se faz ainda mais prudente que o advogado especialista em direito do trabalho seja escolhido com a mais extrema cautela.
Portanto, como se compreende da exposição realizada em breves linhas, a atuação do advogado trabalhista, seja na relação individual ou coletiva de trabalho, seja nas relações domésticas, seja nas pequenas ou grandes empresas, é essencial. Não nos limitamos às reclamações trabalhistas repetitivas ou atuamos nos aconselhamentos meramente de contratação e dispensa dos empregados.
A atuação de profissional do trabalho especializado, compreende desde a fase de seleção e contratação, passando por todas as nuances complexas existentes nas mais diversas relações de emprego/trabalho, inclusive no que diz respeito ao poder diretivo do empregador, o que culmina na dispensa segura e com substancial redução de riscos para os empregados e para os empregadores.